QUAL A AUTONOMIA DE GRAVAÇÃO?

A autonomia de gravação depende do numero de câmeras, resolução, taxa de frames por segundo e do tamanho do HD do aparelho em que serão gravadas as imagens. Outro fator importante, que se deve considerar, é o algoritmo de compactação que o aparelho em questão utiliza para realizar esta gravação. Há no mercado uma série de equipamentos com diferentes tipos de compactação, sendo os mais comuns: mpg2 ,mpg4 e H.264, este último é o mais eficiente e é o que a Gateway utiliza em seus equipamentos.

QUAIS OS TIPOS DE CÂMERAS DISPONÍVEIS?

Os tipos de câmeras são vários e podem ser agrupados em fixas ou móveis, analógicas ou IP.

Câmeras Fixas:
• Box: como seu nome diz tem com formato parecido com uma caixa;
• Dome: tem o formato de uma bolha;
• Encapsuladas: se encontram dentro de uma caixa protetora.

Todas podem possuir lentes do tipo fixa - que tem um valor que não pode ser alterado - por exemplo 3.6mm, que é a lente mais comum utilizada e se aproxima da visão do olho humano; ou varifocal - onde o valor pode ser ajustado conforme necessidade - por exemplo lentes de 4 a 12mm, onde 4mm é valor mínimo de visualização e 12mm, que produz um zoom de 3 vezes na visualização da imagem.

Câmeras Móveis:
• Slow dome: câmera com formato de bolha que pode ser movimentada, tem poucos recursos, se comparada com uma speed dome, geralmente não possuem rotação total de 360° em seu eixo horizontal, velocidade de mobilidade baixa e seu modo de aproximação de imagens é reduzido.
• Speed dome: é a câmera ideal para trabalhos de segurança ostensiva, já que possui uma alta velocidade horizontal, uma taxa de zoom elevado, sendo os mais comuns 23,25,27 e 32 x de zoom. Possui vários tipos de ajustes entre eles BLC, DNR, WDR, e opções de presets, patern e outros.
• Pan-tilt: é um equipamento muito utilizado pelas operadoras de estradas. É uma caixa estilizada, com movimento horizontal e perpendicular, sua câmera se encontra dentro de uma caixa de proteção, a qual é do tipo box com lentes varifocais.

Câmeras Analógicas: O sinal de vídeo por elas gerado é do tipo analógico, não tendo nenhum tipo de compactação.

Câmeras IP: Nestas câmeras o sinal é processado e transformado em sinal digital.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE CÂMERA IP E ANALÓGICA?

O grande diferencial entre uma câmera IP e analógica é o sinal gerado por elas. Na câmera analógica, o sinal não tem compactação, contrário da câmera IP, que passa por um tratamento para transformar o sinal de vídeo em digital.

QUAL A TENSÃO QUE PRECISO DISPONIBILIZAR PARA INSTALAÇÃO DO MEU CFTV?

A tensão a ser utilizada não tem restrição, desde que seja estabilizada.

QUAL A FUNÇÃO DO DVR/NVR/HVR?

A função primária do DVR/NVR/HVR é gravar as imagens geradas pelas câmeras do CFTV, transmiti-las ao vivo para os monitores principal e auxiliares, estocá-las para reprodução e backup, bem como transmissão e reprodução remota (via rede).

O QUE É UM DVR HÍBRIDO?

Um HVR é um aparelho no qual podem ser visualizadas e gravadas as imagens de câmeras analógicas e IPs.

PARA O QUE SERVE UM CABO UTP?

O cabo UTP foi desenvolvido para construção de redes de computadores e vem sendo largamente utilizado para criação de CFTV. Isto acontece por ser um cabo mais barato e tem a opção de se passar mais de uma câmera em cada cabo, reduzindo muito a infraestrutura final de um sistema de CFTV.

QUANTAS IMAGENS POSSO VER NO MONITOR?

Com o monitor ligado diretamente ao DVR/NVR/HVR, a quantidade de imagens normalmente é de 16 câmeras, variando pelo modelo do DVR/NVR/HVR , porém existe a possibilidade de se utilizar um Client, fornecido pela Gateway, no qual é possível visualizar até 64 câmeras.

POR QUANTO TEMPO POSSO GRAVAR AS IMAGENS DAS MINHAS CÂMERAS?

O tempo de gravação é determinado pelo tamanho do HD, assim como pelas configurações impostas ao DVR/HVR/NVR.